Guia de utilização do T2 para principiantes (em português)

Sobre o T2

O T2 é um sistema que permite a criação de distribuições à medida das necessidades. É por isso considerado um System Development Environment. O T2 não deve ser visto apenas como mais uma distribuição de Linux. Com este guia pretende-se guiar os utilizadores na utilização do T2 enquanto System Development Environment.

Os primeiros passos

Para começar a utilizar o T2 deve começar por realizar um checkout ao repositorio respectivo. O T2 utiliza o sistema de controlo de versões subversion. Fazendo o checkout ao trunk estará a utilizar a versão de desenvolvimento do T2. Em alternativa pode utilizar a versão estável do T2, que neste momento é a versão 8.0. Para realizar o checkout deve possuir instalado no seu sistema o subversion e executar o seguinte comando (para o caso da versão de desenvolvimento):

svn co http://svn.exactcode.de/t2/trunk t2-trunk
Caso prefira utilizar a versão estável deve utilizar o seguinte comando:
svn co http://svn.exactcode.de/t2/branches/8.0/ t2-8.0

Deve também verificar se possui o compilador de C/C++, bem como as bibliotecas ncurses (ncurses-devel) e respectivos cabeçalhos (headers), de modo que possa dar início ao processo de configuração e compilação.

Depois de realizado o checkout serão criadas diversas pastas. A pasta scripts contém todas as scripts necessárias para realizar o processo de configuração e compilação, entre outras tarefas.

A pasta download irá guardar todos os ficheiros que serão descarregados e que serão utilizados posteriormente no processo de compilação. A pasta package irá guardar a informação de todos os pacotes do T2. A pasta config irá guardar a informação relacionada com os diferentes ficheiros de configurações utilizados com a utilização do T2. O que significa que pode ter um perfil de configuração para criar um sistema desktop, um outro perfil de configuração para criar um sistema embebido, ou um outro sistema qualquer de acordo com as suas necessidades. A pasta iso irá guardar todas as imagens ISO que serão criadas depois do processo de compilação. Existem mais pastas, como facilmente pode verificar, mas as enunciadas anteriormente serão as utilizadas mais frequentemente.

Criação da configuração

Depois de realizado o checkout do repositorio pode experimentar o T2. Para tal deve executar a script Config que irá apresentar o menu de configuração em modo texto. Esta ferramenta permite-lhe definir o target escolhido para o processo de compilação. Para executar a ferramenta de configuração deve utilizar o seguinte comando:
./scripts/Config -cfg nomeconfig

Tenha em consideração que nomeconfig é o nome que vai ser dado a esta configuração que vai criar. Deste modo pode criar diversos ficheiros de configuração diferentes. Se ao executar a script de configuração anteriormente indicada surgirem erros muito provavelmente o que se passa é que não estão instaladas as bibliotecas ncurses e ncurses-devel.

Como vai reparar existem diversos targets diferentes. Um target pode ser: Generic System, Exact Desktop ou mesmo Embedded system. Ao seleccionar um determinado target irá seleccionar um conjunto de pacotes de software para compilação.

De igual modo facilmente irá verificar que existem muitas opções no menu, algumas das quais apenas relevantes para utilizadores avançados. Uma opção importante, mesmo para iniciantes é a que permite a selecção de pacotes de software, para tal é necessário em primeiro lugar seleccionar a opção Show expert and experimental options. De seguida deve ser seleccionada a opção Custom package selection e de seguida deve ser seleccionada a opção Edit package selection rules. Para adicionar um pacote de software deve ser adicionada uma regra do tipo "X nome" em que, neste caso, nome representa o nome do pacote a adicionar. Para remover um pacote de software que foi adicionado por omissão pelo T2 deve ser utilizada a regra "O nome", em que nome é o nome do pacote que pretendemos remover. Este cenário de remoção de um pacote pode ser útil para as situações em que a compilação de um determinado pacote está a causar um erro e ainda não existe um patch disponível, ou em situações em que pretendemos criar uma distribuição mais pequena, logo pretendemos remover determinados pacotes de software.

Para verificar os pacotes que existem disponíveis para o T2 pode consultar o endereço T2 Packages .

O Download dos ficheiros

Depois da execução da script de configuração pode efectuar o download dos ficheiros que vão ser utilizados recorrendo à script com o mesmo nome:
./scripts/Download -cfg nomeconfig -required
Neste comando nomeconfig deve ser substituído pelo nome de uma das configurações criadas anteriormente. Executando esta script será feito o download dos ficheiros necessários para a compilação da configuração definida.

Compilação do target

Depois de se efectuar o download dos ficheiros pode-se iniciar o procedimento de compilação. Para tal deve-se executar a script Built-Target do seguinte modo:
./scripts/Built-Target -cfg nomeconfig

Neste comando, tal como anteriormente, nomeconfig deve ser substituído pelo nome de uma das configurações criadas anteriormente. O processo de compilação pode ser extremamente demorado e o tempo associado ao processo de compilação depende do target que for escolhido, uma vez que o target determina o número de pacotes a compilar. De referir ainda que se estiver a compilar pacotes do trunk pode encontrar erros no processo de compilação. Caso encontre erros num determinado pacote pode sempre analisar o ficheiro de log da compilação consultando a pasta build/teste-9.0-trunk-generic-x86-i486-linux/var/adm/logs. Todos os ficheiros que não foram compilados possuem a extensão .err. No exemplo anterior a designação teste-9.0-trunk-generic-x86-i486-linux é o nome de uma pasta dentro da pasta build e representa uma configuração que foi ou está a ser utilizada.

Criação do ISO

Depois de executado o processo de compilação pode optar pela criação de um ISO para o experimentar. Para tal deve executar a seguinte script:

./scripts/Create-ISO nomecd nomeconfig

Este comando irá criar uma imagem ISO com o nome nomecd da configuração especificada. Mais uma vez nomeconfig deve ser substituído de modo a ser utilizado uma configuração criada anteriormente. O ficheiro ISO será colocado dentro da pasta iso. Em muitos casos poderá estar a criar uma imagem maior do que a que é possível colocar num CD pelo que poderá aparecer um erro por este facto. Assim sendo será necessário utilizar o parâmetro -size do seguinte modo:

./scripts/Create-ISO -size 999 nomecd nomeconfig

Testando o ISO

Depois de criado o ficheiro ISO pode utilizar o QEMU para o experimentar. Pode até utilizar a aplicação QEMU-Launcher para facilitar o processo.

The Author

Miguel Queirós